Comprar Embalagens, paletes e caixas de madeira


Na Master Caixa você terá os melhores produtos do mercado por um preço justo e entrega rápida. 

Desenvolvemos nossas embalagens obedecendo critérios de qualidade tanto do mercado nacional, como internacional.

O que é o Palete e para que serve


Palete (do francês palette) é um estrado de madeira, metal ou plástico que é utilizado para movimentação de cargas.

A função dos paletes é viabilizar a otimização do transporte de cargas através do uso de empilhadeiras, obtendo com isso vantagens como:

- Redução do custo homem/hora;
- Menores custos de manutenção do inventário bem como melhor controle do mesmo;
- Rapidez na estocagem e movimentação das cargas
- Racionalização do espaço de armazenagem, com melhor aproveitamento vertical da área de estocagem;
- Diminuição das operações de movimentação;
- Redução de acidentes pessoais;
- Diminuição de danos aos produtos;
- Melhor aproveitamento dos equipamentos de movimentação;
- Uniformização do local de estocagem.

A História do Palete de Madeira


As referências aos tipos de paletes modernos iniciais são escassas com uma série de patentes mostrando partes do desenvolvimento. Uma das primeiras é uma patente dos EUA de um palete de madeira de 1924 descrevendo o "Lift Truck Platform" de Howard T. Hallowell. No final dos anos 1930, os paletes tornaram-se mais comuns pelo advento da popularização das empilhadeiras e barateamento das unidades por ocasião da revolução industrial.

Em uma conversa com Steve Raymond, descobri que o palete tem um pai. Na verdade, alguns pais ao longo da história.

Segundo Steve, neto de George Raymond, a história completa da invenção do palete foi perdida ao longo do tempo. O que ele sabe é que em nome de seu avô foi emitida a patente da empilhadeira no mesmo dia.

Essa invenção foi uma melhoria de um manipulador de skids, que foi fabricado no início do século passado. Naquela época, Raymond diz, as obras Lyon Iron era a fundição que fazia peças fundidas em ferro, ferramentas e implementos agrícolas.

George Raymond deu entrada com um pedido de patente dos paletes em 1938. A patente foi concedida em 1939 com o número EU 2178646. As características essenciais do palete patenteado por George, são comuns até os dias de hoje.

George desenvolveu a primeira empilhadeira e, em seguida, colocou o palete junto. "Era um palete de dupla face, com placas de fundo para dar-lhe mais resistência", diz Raymond. "Os garfos tinham rodas sobre eles para acessar através das aberturas e elevar o palete cerca de cinco ou seis centímetros do chão. Funcionou muito bem como um transpalete que conhecemos hoje, exceto que ele era muito mais pesado."

Uma outra patente requerida em 1939 por Carl Clark (precursor das empilhadeiras Clark) mostra um tipo de palete com barras de aço.

Os desenvolvimentos dos produtos no decorrer da Segunda Guerra Mundial foram, via de regra, patenteados apenas depois da guerra, de modo que há uma patente de Robert Braun de um palete de quatro entradas em 1945, e uma patente de Norman Cahners (um oficial de abastecimento da Marinha dos EUA) referenciando um tipo de palete descartável em 1949. O princípio de construção completo de uma palete de quatro vias moderna é descrito por Darling Graeme em 1949.

Finalidade das embalagens de madeira


A embalagem de madeira tem a finalidade de armazenagem, transporte, movimentação e proteção, sendo considerada um método de utilização muito eficiente no processo logístico.

A embalagem de madeira caracteriza-se por utilizar madeira de Pinus e seus derivados em mais de 90% das embalagens. O processo de fabricação é simples, porém, altamente tecnologico permitindo agregar valor ao produto.

O setor apresenta um mercado de forma pulverizada, participa da cadeia de suprimentos de diversos segmentos (automobilístico, máquinas, alimentos, varejo, etc.), porém, é pouco estudado e com pouca informação disponível. A participação de associações auxilia a representação do setor perante o mercado e permite planejamentos mais eficientes, baseados nas análises e perspectivas de mercado.

Os modelos mais comuns de paletes


Paletes descartáveis

Paletes descartáveis são os não retornáveis - acomodam uma determinada mercadoria, o custo está incluso no da mercadoria, viajam uma vez e não retornam mais.

O fato de um pallet receber a classificação de descartável sugere a algumas pessoas que o item terá um baixo custo, no entanto, vale lembrar que nem sempre isso ocorre, já que o que determina o valor de um pallet não é sua classificação, mas a sua estrutura para suportar a carga que se precisa paletizar.

Paletes movimentação (estocagem)

São concebidos para estocar mercadorias e facilitar sua locomoção de um local para outro. Com esses Paletes, os produtos não sofrerão os impactos do transporte e poderão ter durabilidade maior.

Para isso, o palete precisa ter uma estrutura que suporte diferentes quantidades de peso, além de suportar empilhamentos.

Palete retornável

Palete retornável é aquele utilizado quando as empresas possuem uma forma organizada de encaminhar seus produtos e receber de volta seus paletes para outros carregamentos, geralmente com os custos da embalagem (palete) diluído em duas, três ou mais utilizações.

Pelo fato de ser classificados como retornáveis, normalmente, possuem uma estrutura de madeira e fixação das peças capaz de suportar os impactos que sofrem durante carregamento, transporte e descarregamento.

Palete duas entradas

O palete duas entradas é confeccionado com longarinas ao invés de tocos, e utilizado nos casos em que se necessita maior resistência ao peso.

É, também, recomendado para uso em prateleiras (porta-paletes), pelo fato de que as mercadorias que ficam suspensas precisam ter mais resistência por questões de segurança.

O inconveniente do palete duas entradas é a possibilidade de as empilhadeiras poderem entrar apenas por dois lados.

Paletes quatro entradas

Possuem quatro entradas para empilhadeiras ou carros paleteiros. São confeccionados com tábuas superiores que, como ocorre com o palete duas entradas, podem ser vazados ou com face superior fechada (assoalhados).

Esses Paletes possuem tábuas intermediárias e sua principal característica são os pés montados com pedaços de pontaletes (tocos), que estabelecem sua sustentação e possibilitam que empilhadeiras e carros paleteiros possam entrar pelos quatro lados.

Paletes PBR

Os Paletes PBR têm medidas padronizadas de 1000 mm x 1200 mm, número de peças (tábuas superiores, tábuas intermediárias, tocos e tábuas inferiores) com quantidades e medidas padrão e possuem gravação a fogo nos tocos, explicitando o nome fabricante, o mês e o ano da fabricação.

Eles funcionam como vasilhames, pois suas características permitem que haja troca desses vasilhames entre empresas que utilizam o mesmo modelo e sua estrutura reforçada garante durabilidade ao material - existem paletes PBR em uso com até quinze anos em atividade.

Paletes usados

São os Paletes recolhido por empresas especializadas na tarefa de limpeza desses produtos, que são acumulados em outras empresas que consomem produtos paletizados.

É grande a frequência de Paletes recebidos no Brasil por importação de mercadorias. Por isso, é bastante comum localizar esses itens nos comércios de pelete usado.

As empresas que trabalham com Paletes usados oferecem um eficiente serviço de reciclagem, reaproveitamento dos próprios Paletes ou transformação deles em cavacos para produção de energia. Esses fornecedores promovem a reforma e recolocam os Paletes no mercado. Desta forma, além de oferecer produtos a baixo custo para a indústria, proporcionam um benefício ao meio ambiente.

Paletes dupla face

Paletes dupla face são um modelo com tábuas em cima e embaixo, podendo ser reversíveis ou não, e construídos nas opções de paletes duas entradas ou paletes quatro entradas.

Paletes para exportação

Paletes para exportação podem ser construídos em qualquer modelo e tamanho para serem acomodados em cargas aéreas, marítimas ou terrestres.

O que define seu tamanho são os espaços que o palete utilizará quando no transporte. Ele é dimensionado para melhor aproveitamento de espaços em aviões, containers ou carrocerias.

A diferença básica entre Paletes exportação e aqueles para mercado interno são os tratamentos fitossanitários que recebem com o objetivo de eliminar quaisquer espécies de seres vivos que possam existir nas madeiras, impossibilitando, assim, a disseminação de pragas e doenças vegetais entre os países.

Uso da madeira em embalagens


A madeira é um dos mais antigos materiais utilizados nas embalagens, devido a sua grande eficiência logística em cargas industriais de grandes volumes. A madeira é importante para garantir a correta movimentação, armazenamento e o transporte seguro dos produtos comercializados. Entretanto, o uso deste versátil material requer entendimentos relativos às normas de tratamento fitossanitário. Se sua empresa utiliza embalagens de madeira como paletes, caixas ou componentes de madeira para proteção de seus produtos, sugerimos atenção a alguns aspectos.

Atualmente o uso da madeira para fabricação das embalagens inclui fortemente questões técnicas, legais, ambientais e econômicas, seja esta embalagem preparada exclusivamente com madeira ou apenas de algumas partes desse tipo de material.

Sobre os aspectos técnicos e econômicos, o uso da madeira precisa ser dimensionado sob a ótica do custo versus benefício, já que a embalagem precisa garantir qualidade do produto da indústria até o consumidor final pelo mínimo custo possível a operação.

Dentre as questões legais e ambientais relacionadas ao uso da madeira destacam-se a geração de resíduos, o descarte, o reuso e principalmente os tratamentos fitossanitários para o uso adequado da madeira nas embalagens. Estas leis são orientadas no Brasil pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em aderência com as necessidades do mercado destino e seu ambiente de distribuição.

Para melhor entender o uso da madeira nas atuais embalagens voltadas para o mercado nacional e internacional, apresentam-se a seguir informações que alertam como são realizados os tratamentos fitossanitários da madeira para embalagem e suas simbologias. Reconhecer estas regulamentações é muito importante para as empresas usuárias deste material, antes mesmo de se desenvolver qualquer embalagem. Estas informações, grafismos e pictogramos podem significar o sucesso ou o fracasso de uma operação comercial internacional.

Desde março de 2002, está disponível uma das principais normas internacionais editadas pela FAO: “Norma Internacional de Medida Fitossanitária”, conhecida como NIMF nº15. Esta norma aponta diretrizes para obter a certificação fitossanitária das embalagens, suportes e componentes de acomodação fabricados em madeira e utilizados para acondicionar produtos destinados à exportação e ao comércio internacional.

Basicamente, ao utilizar-se da madeira em estado natural como principal material na embalagem, a mesma deverá receber tratamento contra pragas quarentenárias que ao se instalem nos países-destino podem causar danos ao meio ambiente e ao ecossistema. No Brasil, as Portarias 499/99, NT. 108 e 278/04 exigem vigilância nas alfândegas, portos e fronteiras quando na entrada das embalagens de madeira, visando impedir a entrada de pragas exóticas. 

Cinco vantagens em utilizar as embalagens de madeira


As embalagens de madeira são peças muito utilizadas em mercados, com a principal função de transportar produtos frágeis, como frutas, hortaliças e legumes, além de qualquer outra mercadoria que possa ser danificada durante o transporte, como latas e embalagens de vidro.

Existem várias vantagens em optar pela utilização das embalagens de madeira, confira a seguir:

1. Uma peça feita com material natural e renovável

As embalagens de madeira são, obviamente, produzidas com madeira. A madeira é um material natural e renovável, que requer um consumo energético menor para o seu manuseio, o que é ótimo para o meio ambiente. Além disso, a madeira também é facilmente reciclada e pode ser reutilizada de várias maneiras criativas.

2. Possui alta durabilidade

Se bem utilizadas, as embalagens de madeira estão capacitadas para durarem vários anos, em bom estado. Isso é importante para as empresas que trabalham com o transporte de mercadorias, já que elas realizam um verdadeiro investimento quando adquirem uma peça de proteção para auxiliar no transporte de mercadorias mais frágeis.

3. Proporciona maior segurança

Como dito anteriormente, as embalagens de madeira são utilizadas principalmente para o transporte de mercadorias consideradas frágeis. Elas exercem uma proteção a esses produtos, impedindo que batidas e outros impactos atinjam diretamente a mercadoria em questão.

4. Fácil manuseio

As embalagens de madeira podem ser facilmente manuseadas e transportadas através de empilhadeiras, o que é fundamental para uma mercadoria que exerce uma função como a sua. Com isso, é possível garantir a facilidade durante o transporte, além, é claro, de assegurar sempre uma segurança necessária para essas mercadorias citadas.

5. Versatilidade de uso e possibilidade de reutilização

Além da utilização em transporte de mercadorias, as embalagens de madeira também podem ser utilizadas para outras funções, como por exemplo o armazenamento de produto em um estoque. Além disso, é possível encontrar várias opções para a reutilização de uma embalagem de madeira, que podem variar entre peça industrial e até peça de decoração em residências e estabelecimentos.

Fale Conosco!

 

 

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba novidades do setor e dos nossos produtos!